26 de jan de 2011

LEALDADE E SUBSERVIÊNCIA. QUAL A DIFERENÇA?


A lealdade diz, estou com você enquanto você acertar.
A subserviência diz, estou com você ainda que você erre.


A lealdade diz, não me importo se falam mal de você, deve ser mentira.
A subserviência diz, não me importa se falam mal de você, mesmo que seja verdade.


A lealdade diz o seu interesse é para mim tão importante quanto o meu.
A subserviência diz, o seu interesse é para mim mais importante do que o meu.


A lealdade diz o seu sonho é tão legitimo como o meu.
A subserviência diz, somente o seu sonho é legitimo.


A lealdade diz, a minha ajuda esta a sua disposição
A subserviência diz, a minha existência esta a sua disposição


A lealdade diz, é bom viver com você
A subserviência diz é bom ver você vivendo.


A lealdade diz, é um prazer interagir com você
A subserviência diz, é uma obrigação ser gerido por você.


A lealdade diz, nós vencemos, nós perdemos.
A subserviência diz, você venceu, eu perdi.


A lealdade diz, Eu e você
A subserviência diz, você, somente você, nada mais do que você!

Lealdade, substantivo feminino
1 respeito aos princípios e regras que norteiam a honra e a probidade
2 fidelidade aos compromissos assumidos
3 caráter do que é inspirado por este respeito ou fidelidade
Ex.: a l. de uma ação


Subserviência, substantivo feminino
característica ou condição do que é subserviente
1 sujeição servil à vontade alheia, submissão voluntária a alguém ou a alguma coisa; servilismo
Ex.: a s. diminui e avilta o homem
2 ato ou efeito de bajular; adulação, bajulação
fonte: Dicionário Houaiss


20 de jan de 2011

VOCÊ TEM TEMPO PARA PENSAR NOS CAIDOS PELA ESTRADA?


Eu não sei quantas pessoas irão ler isso que neste momento estou escrevendo. Mas não importa, espero que os que lerem sejam aqueles que ELE escolheu para tomar conhecimento do que se segue. Ontem a noite fui abalado pela leitura da parábola do bom samaritano. A parábola é bem conhecida pelo publico cristão no mundo inteiro. De modo geral é uma lição de caridade, alguns mais atentos dirão que é uma repreensão contra o preconceito étnico e o orgulho religioso.

Contudo para mim ontem a noite ganhou uma dimensão assustadora, uma vez que se revestiu de chamado, chamado para pregação do evangelho com toda a sua integralidade e com todas as suas implicações possíveis. Nessa meditação abaladora fui confrontado a perguntar a quem devo nos próximos dias anunciar as boas novas do reino de Deus. A passagem é clara. A todos os que na beira da estrada estão caídos.
Bem cabe 2 perguntas. No que consiste a estrada? E no que consiste estar caído? A estrada são os nossos espaços de interação, pode ser a minha casa, a sua casa, a minha escola, a sua escola, a empresa em que trabalho, a empresa que você trabalha e eventualmente a igreja que freqüentamos. São os lugares em que eu posso encontrar com você, e você comigo. E nós com eles.
E estar caído a beira da estrada? Isto nada mais do que ser afetado por todas as desgraças e desventuras que a vida permite que aconteça. Estar caído é descobrir o filho preso, e descobrir a gravidez fora de tempo com o companheiro indo embora, é descobrir a porta da empresa fechada quando mais se necessitava de uma oportunidade, é descobrir que o cônjuge se foi e deixou apenas um bilhete, é descobrir que tudo que o seu pastor ensinava no púlpito era apenas uma retórica vazia, um discurso com objetivo unicamente arrecadatório e que a ética proposta não passava de uma propaganda barata para levantar dizimistas.
É isto que consiste em estar caído, assaltado, machucado, violado, humilhado. E o que Jesus pretende com a sua mensagem? Que eu pare um pouco nos espaços em que eu encontro essas pessoas, ponha água em suas bocas, cubra a nudez e a vergonha destas, unguente as feridas profundas que elas portam, e as carregue para serem curadas. Enfim é isso que ele quer que façamos, sabendo que essas pessoas nunca poderão nos pagar por esse serviço, é possível que quando elas acordem nem se lembrem o que aconteceu ou quem as ajudou, nem mesmo serão capazes de preencher a ficha de membros das nossas igrejas.
É amigo, o caminho é estreito mesmo? Quem por ele andará?



18 de jan de 2011

ENTENDES O QUE LÊS?

O livro hebraico com nome de“Sepher Tehillim” cuja traduçao é “O Livro dos Louvores", é conhecido por nós como Livro dos Salmos. Foi escrito para ser lido pelos israelitas. Teve varios autores entre eles Davi, Salomão e Moises. Foi escrito portanto desde o tempo em que os hebreus estavam no deserto (Salmo 90), passando pela época do reinado de Davi (Salmo 51) até o momento em que os judeus estavem no exilio na Babilonia (Salmo 126).

Os Salmos foram escritos com o objetivo induzir os hebreus a preservar a memória de suas experiências individuais ou coletivas com Deus e sua Palavra. A finalidade deste livro são diversas, entre elas Louvor (Salmos 8, 24, 29, 33, 47-48); Lamentos (Salmos 25, 39, 51, 86, 102, 120); Ações de Graças (Salmos 18, 66, 107, 118, 138); Cânticos de Confiança (Salmos 23, 121, 131); Salmos Reais (Salmos Sl 20-21, 24, 45, 93); Salmos Sapienciais 1, 37, 49.
No Salmo primeiro o salmista compara o justo e o ímpio, destacando o fim de cada um. O verso em destaque é o 3 que diz: “…Ele (justo) é como árvore plantada junto a corrente de águas que, no devido tempo, já o seu fruto, e cuja folhagem não murcha; e tudo quanto ele faz será bem sucedido…”
Já o salmo 2 é um Salmo messiânico descreve a rebelião das nações contra os reis escolhidos por Deus e alerta contra este tipo de pensamento insensato. O verso em destaque é o 8 que diz; “…Pede-me, e eu te darei as nações por herança e as extremidades da terra por tua possessão…”
No Salmo 3 o rei Davi pede para o Senhor protegê-lo de seus inimigos e encontra descanso e segurança no cuidado do Senhor. O verso que melhor expressa este salmo é o 5, que diz: “…Deito-me e pego no sono; acordo, porque o SENHOR me sustenta…”
Já o Salmo 4 é possível ver Davi pedir a Deus que o justifique diante de seus acusadores, ele encontra descanso em saber que Deus o manterá salvo. O versículo significativo é o 4 que diz: “… Irai-vos e não pequeis; consultai no travesseiro o coração e sossegai…” No quinto Salmo Davi pede a Deus que o guie e o proteja. Também pede a Deus que destrua seus inimigos ímpios. O verso significativo deste Salmo é o 7 que diz: “… eu porem, pela riqueza da tua misericórdia, entrarei na tua casa e me prostrarei diante do teu santo templo, no teu temos…”
No Salmo 6 Davi diz estar cansado de tanto lamentar e ora para que o Senhor tenha misericórdia dele. Davi confia que Deus ouve sua oração. O verso que melhor expressa este fato é o 7 que diz: “…Meus olhos, de magoa e acham amortecidos, envelhecem ora usa de todos os meus adversários…”

Finalmente no Salmo 7 Davi pede para Deus sondar seu coração e ver se ele pecou, pois sabe que Deus protege o inocente e frustra os planos do ímpio. O primeiro verso é consolador uma vez que diz: “…SENHOR, Deus meu, em tim me refugio; salva-me de todos os que me perseguem e livra-me…”

16 de jan de 2011

O que acontece quando a mensagem religiosa se confunde com o discurso político?

O que acontece quando a mensagem religiosa se confunde com o discurso político? Para onde vai uma nação quando a constituição desta é tutelada pelo regimento de uma igreja? O que se espera de uma nação cujos políticos são intimidados por sacerdotes ou pastores? Afinal que pais será esse que é diariamente bombardeado de mensagens vindas dos púlpitos intolerantes? Bem a FOLHA EXPLICA isto, leia essa matéria abaixo, e de pois se pergunte; Você não acha que tem gente no Brasil que queria um estado tutelado, e uma nação de joelhos diante de discursos religiosos?

Poucas vezes as vozes da direita americana foram tão massacradas na imprensa quanto na última semana, quando os EUA tentavam entender por que um jovem de 22 anos matou seis e feriu 14, incluindo uma deputada democrata, em um ataque a tiros em Tucson (Arizona). A informação é de Andrea Murta, em reportagem publicada na Folha deste domingo (íntegra disponível para assinantes do UOL e do jornal).
Mas a reação extremada de formadores de opinião de esquerda e do centro, que acusaram a direita nos mais altos tons de ter criado o clima de discórdia que encorajou o ataque, é também um testemunho da força e influência que os conservadores detêm nos EUA de hoje.
Críticas vieram de vários lados. Uma frase muito repetida foi a de um xerife do Arizona, Clarence Dupnik, que disse que o Estado havia se tornado "a meca do preconceito e racismo" e que apresentadores de TV e rádio deviam repensar suas atitudes.
Ele não se referia só a jornalistas regionais mas também a personalidades midiáticas icônicas da direita como Rush Limbaugh e Glenn Beck, cujas mensagens iradas contra democratas e esquerdistas são reverenciadas por legiões de fãs. Entre os políticos, uma das vítimas preferidas dos protestos foi a ex-governadora do Alasca Sarah Palin, queridinha dos ultraconservadores do Tea Party.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/mundo/861299-massacre-nos-eua-poe-icones-da-direita-em-xeque.shtml

12 de jan de 2011

Como começou o ministério de Jesus?

             Uma resposta para esta pergunta parece estar no capitulo 3. Este capitulo nos relata sobre a pregação de João: seu ofício, vida e batismo. 7 João repreende os fariseus, 13 e batiza Cristo no Jordão.

             Mais especificamente o verso 17 nos remete ao momento ao batismo de Jesus, apos ele sair das águas uma voz é ouvida, nesse pronunciamento de Deus Jesus é assumido como sendo filho amado de Deus, isso por que no período da graça Deus optou por trabalhar com filhos.
             Ser filho é a premissa do Novo Testamento, ainda que Jesus tenha cumprido a missão de servo, e que todos os que conhecem a Deus devem portar-se como servos, ainda assim a condição para o chamado consiste em ser filho de Deus.
              O chamado de Deus consiste em que cada um seja antes de qualquer coisa ou tenha qualquer cargo que este seja filho, e filho amado.

11 de jan de 2011

De Rei a súdito. Quem aguenta isso?

O segundo capitulo de Mateus é relevante na medida em que nos mostra os primeiros inimigos que Cristo arregimentaria em virtude de sua pregação. Neste capitulo vemos; Os magos do Oriente perguntam por Cristo; 3 Herodes fica alarmado com isso. 9 Os magos são guiados por uma estrela a Belém, adoram a Jesus e oferecem presentes a ele. 13 José foge para o Egito com Jesus e sua mãe. 16 Herodes mata as crianças; 20 Herodes morre. 23 Cristo é trazido de volta para a Galiléia em Nazaré. "Quarto ano antes do chamado Anno Domini."
Mateus nos revela a preocupação de Herodes com o nascimento de Jesus. Ele tem muito a perder. Ele tem o trono, o prestigio, a reputação, ele teme por tudo isso caso o novo rei de Israel se mostre ao povo. Jesus é uma mudança na vida de Herodes, uma vez que ele deixaria mais cedo ou mais tarde de ser rei para ser servo.

O surgimento de Jesus na vida de alguém é a mudança de condição, diante dele todos viram servos. Logo as pessoas têm apenas duas escolhas, ou tentam impedir que Cristo nasça nos seus corações ou então permitam que ele nasça e assuma o trono da sua vida.

10 de jan de 2011

ONDE FICA A ETERNIDADE?

Ler a Bíblia e falar com/de Deus é como olhar um palácio pelo buraco da fechadura de uma porta, ou por uma fresta, você tem apenas uma pequena idéia do que é a eternidade, mas não sabe ao certo. O que nos espera na eternidade é muito maior do que imaginamos!!!



A eternidade não é somente céu, é a outra dimensão, é o outro lado que não tem passado nem presente, nem futuro.


Ta difícil de entender? Assista as Crônicas de Narnia.

7 de jan de 2011

EMANUEL. Quem é Ele?


O primeiro capitulo de Mateus é fundamental nos evangelhos na medida em que nos dá a referencia de quem é Jesus. Neste capitulo vemos; A genealogia de Cristo de Abraão até José. 18 Cristo é miraculosamente concebido do Espírito Santo pela Virgem Maria, estando ela desposada com José. 19 O anjo tira as dúvidas de José e declara os nomes e o ofício de Cristo: Jesus nasce.


No verso 23 do capitulo 1 de Mateus aparece um dos nomes atribuídos a Jesus. O nome EMANUEL, ao ser denominado assim Jesus revela o seu ministério, a saber ser companheiro e amigo daqueles que invocam o seu nome.


Ao assumir a condição de EMANUEL, Jesus compromete-se em acompanhar aos seus discípulos, os que conhecem a Cristo podem ter a certeza, não há nada que eles façam que não estejam sobre a supervisão deste que morreu por cada um. Jesus é o EMANUEL de Deus. Ele esta a disposição para andar com os que querem andar com ele.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...