16 de jul de 2012

FÉ RESTAURA, JÁ RELIGIÃO...

“...As comunidades constroem verdadeiros guetos separando “nós”: os salvos, e “eles”: o mundo. O modelo hierárquico é um resquício do judaísmo e mantém as pessoas na infantilidade, dependendo de um pastor que lhes diga o que fazer. As pregações se concentram em comportamentos que elas precisam melhorar ou combater. Mensagens evangelísticas enfatizam: “Venha como é”, mas a tônica dos sermões é: “Deus ...quer algo mais de você”.

As cobranças transmitem a imagem de um deus general e até as promessas são transformadas em obrigações. O Louvor não é uma declaração de amor a Deus, mas uma forma musical de transmitir uma mensagem aos ouvintes ou de lhes proporcionar uma catarse.  Assim, as pessoas tendem a ser movidas pelo medo e construir uma relação manipulativa com um deus-patrão, trocando uma vida comportada por benção e proteção. A aprovação divina é medida através de sinais e do sucesso material...”

Isabelle Ludovico da Silva
A RELIGIOSIDADE QUE ADOECE E A FE QUE RESTAURA



12 de jul de 2012

STF da exemplo ao permitir divulgação de salários de servidores.



O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Ayres Britto, concedeu liminar nesta terça-feira (10/7) que permite a divulgação dos salários dos servidores públicos federais de forma individualizada. O ministro atendeu a pedido da Advocacia-Geral da União e suspendeu as liminares que impediam a divulgação, com base na Lei de Acesso à Informação (Lei 12.527/11).

Para a AGU, a divulgação não viola a intimidade, a vida privada, a honra da pessoa, pois os vencimentos pagos pelo Poder Público são “informação de caráter estatal, decorrente da natureza pública do cargo e a respeito do qual toda a coletividade deve ter acesso”, a fim de permitir a fiscalização, pela sociedade, das contas e dos atos públicos. “Trata-se de prática que se repete em vários países, como Argentina, Canadá, Israel, Hungria, Peru, Chile e Estados Unidos”, sustentou.
A liminar concedida pelo ministro Ayres Britto vale até a decisão definitiva sobre a ação que contesta a divulgação dos salários.


Agora faltam as ONGs e Associações, entre elas instituições filantrópicas hospitalares e entidades religiosas tornarem acessíveis o acesso aos valores recebidos de doação de pessoa física, jurídica, bem como salários de gestores e funcionários.

3 de jul de 2012

Dói o coração!!!

Dói, dói o coração

De quem vê gente
Confundindo a unção
Com técnica de manipulação!!!!

Dói, dói o coração
De quem vê gente
Confundido meu irmão
Com cliente de um mercadão

Dói, dói o coração
De quem vê gente
Trocando a comunhão
Por solene reunião

Dói, dói o coração
De quem vê gente
Para cada situação
Escolher algum tipo diferente de plano de salvação.

Dói, dói, dói demais o coração de qualquer um
Que já não se impressiona com clamores, triunfos e Jejum
Alem de ver uma massa religiosa, que mascara suas motivações
Sem nunca convencer AQUELE que não se impressiona com Canções

Dói demais o coração





1 de jul de 2012

A Graça DELE x a graça deles

Vale a pena ouvir este raper, é uma critica bem contemporanea em relaçao a religião de mercado que se afirmou no nosso pais nos ultimos 20 anos:

"Num país onde nosso futuro dorme em baixo de viadutos com
Frio, febre e fome, infelizes mentes de adultos,
Os nossos profetas diriam: "eis que também não vivem na luz"
E eu te pergunto no evangelho o que diria Jesus?

O filho do homem não tem lugar pra reclinar a cabeça,
Alguém me explique este evangelho antes que eu enlouqueça!
Qual evangelho está certo? o de Jesus ou o da igreja?
e explique irmão! porque esta expressão de surpresa?

Vejo que não é o mesmo evangelho, conquanto,
Nos ensinam a chamar nossas culpas de espírito santo.
Porque as mulheres que por jesus foram perdoadas
Hoje por nós são vitimadas, julgadas e apedrejadas?

Não acho ruim ter mansão, nem carro nem condição,
Nem lancha, nem ter dinheiro, nem jato nem avião.
Só digo uma coisa meu irmão, melhor prestar atenção:
"onde estiver seu tesouro estará também o coração."

Os nossos levitas fazem show, sua fama é um mundo ilusório,
Já não existe adorador, só animador de auditório.
Viram? eles já não levam mais a arca da aliança
Porque são carregados por um bando de seguranças.

Nós não precisamos de saquinho de sal pra apaziguar nossa guerra,
Nós somos a luz do mundo, nós somos o sal da terra!
Nós não precisamos de pedrinha de Israel
Porque temos a pedra de esquina chamada Deus Emanuel!

Eu não quero pão de Jerusalém, nem mesmo água ungida,
Já bebi águas vivas, já comi o pão da vida!
Eu não creio em oração poderosa, dela eu tenho aversão,
Eu creio num Deus poderoso que ouve a minha oração!

Eu pensei que eles não me aceitavam por causa do ritmo,
Mas agora sei que não me aceitam porque eu prego o evangelho legítimo."

Pr Paulinho.

Graça do ETERNO X desgraça dos efêmeros


A desgraça não acha, nem dá tempo para a graça.
Isto é muito sem graça. Na verdade, não é possível achar graça na desgraça. Só os criadores da desgraça acham graça na desgraça. (...)  Ela [a Graça do ETERNO] não é uma graça "alcançada", é "lançada" a nós; ela não é conseguida: é concedida. Ele invade a cultura da desgraça com sua Graça.

Esta cultura da desgraça é uma longa história, que vinha desde o Édem.
Passou por Sodoma e Gomorra, que até hoje continua como emblema da cultura da desgraça. Verdade seja dita: através da história, todas as guerras fazem lembrar Sodoma e Gomorra. Todas as epidemias e pragas apontam para Sodoma e Gomorra e para a cultura da desgraça. Todos os atos de terrorismo também.

Todos os atos de injustiça, exploração, de espoliação, de manipulação e domínio de mercados e exclusividade de tecnologia igualmente nos trazem à memória o mesmo quadro apocalíptico incrivelmente encravado no livro de Gênesis. Todas as situações domésticas de pressão, incompreensão, violência ou indiferença também apontam para Sodoma e Gomorra, como estamos dizendo, emblemas da cultura da desgraça.

Algo precisava ser feito! Não era possível ficar como estava! Deus entrou em ação. “...E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos sua glória, a glória que o Filho único recebe do seu Pai, cheio de graça e de verdade. (João 1.14)
ELE  assim criou tempo para a Graça. ELE  é a divisão entre o tempo da desgraça e o tempo da Graça.
José Cassio Martins.
A cultura  da desgraça e a Graça de Deus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...